O que pertence ao franqueado após investir em uma franquia?

0
1199

O modelo de franquias consiste no investimento por parte do franqueado para usufruir de alguns benefícios de um plano de negócios de sucesso, entre os quais estão o uso da marca, do sistema de operação e de gestão. No valor indicado pela franquia também estão inclusos os gastos com reformas e aquisição de bens materiais para compor a futura unidade. Mas o que realmente pertence ao franqueado?

Em qualquer situação, os itens do contrato é que nortearão os direitos e deveres de ambas as partes, e o que pertence a cada um pode variar de acordo com a franquia.

De acordo com a consultora, Nara Silvério, é de propriedade do franqueado tudo o que não compromete a estrutura da operação da unidade. Itens como ar condicionado e sistema de exaustão, por exemplo, são considerados como benfeitorias ao imóvel e não podem ser retirados.

Avaliação

De acordo com a consultora, caso haja desistência do negócio, a franqueadora realiza uma análise da estrutura (física e financeira) da unidade antes de qualquer decisão. Primeiramente, o negócio será oferecido ao franqueador, que contratualmente solicita a preferência na compra do negócio por valores de mercado.

Caso o franqueador não tenha interesse em exercer o direito sobre a unidade, o negócio poderá ser repassado a um novo franqueado, desde que este candidato seja aprovado pelo franqueador. “Assim, o negócio será repassado na íntegra (ponto, estoque, mobiliário, equipamentos), sendo que o novo franqueado pagará à franqueadora uma nova taxa de franquia”, explica.

Responsabilidades

A partir da assinatura do contrato do ponto comercial, todos os processos de reforma e desenvolvimento da empresa são de responsabilidade do franqueado. Cabe ao franqueador oferecer suporte para fazer o negócio prosperar no caminho certo.

“A franqueadora orientará o franqueado nas ações de divulgação para inauguração, com eventos, campanhas e mídias sociais da rede, mas também será considerada a experiência do franqueado para entender qual a melhor ação que poderá funcionar na região escolhida”, afirma a especialista.

COMPARTILHAR