O que saber antes de investir em uma franquia

0
11

Por ser um modelo com marca e processos estabelecidos, as franquias acabaram tornando-se uma opção de investimento menos arriscada para quem deseja abrir o próprio negócio. No entanto, antes de se jogar de cabeça neste modelo, o empreendedor precisa fazer uma ampla análise. Fatores pessoais, profissionais e contratuais devem ser levados em consideração para oferecer confiança na tomada de decisão e evitar frustrações futuras.

Análise do setor

De modo geral, dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) apontam que o faturamento do setor de franquias atingiu 74,4 bilhões de reais no primeiro semestre de 2017, o que representa um crescimento de 8% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Seguindo o mesmo levantamento, o número de redes de franquia chegou a um total de 2.979, responsáveis por gerar mais de 1,2 milhão de empregos diretos em suas unidades.

É um cenário promissor, não é mesmo? Principalmente pelo panorama de crise no país, um setor que mantém bons indicativos só pode ser sinônimo de bons frutos. Mesmo assim, antes de investir, é necessário colocar na balança – e na ponta do lápis – diversos pontos que antecedem a negociação de uma franquia e devem ser analisados com calma.

Responda às perguntas abaixo para saber se este é o tipo mais adequado de investimento para o seu perfil.

Tenho perfil?

O perfil das pessoas que entram no mundo das franquias é muito variado. Pode ser desde alguém que tenha trabalhado em alguma rede e, portanto, tenha experiência no modelo, até um completo novato no ramo. De qualquer forma, ter uma franquia é sinônimo de seguir um modelo de uma marca com plano de negócios e processos estruturados. A pessoa interessada em investir neste tipo de negócio precisa estar alinhada com a missão e os valores desta empresa, e ter espírito empreendedor.

Conheço o ramo de atuação?

Ter afinidade com o negócio facilita boa parte do processo, mas não é uma regra. Afinal, é possível ter uma franquia apenas como investidor, deixando que outra pessoa administre o negócio. Mas, caso não seja este o caso, é recomendado que o candidato a franqueado saiba identificar suas próprias habilidades. Procurar um setor de que goste ou ter a vontade de aprender sobre um novo setor é uma boa premissa. Estes fatores fazem fluir melhor o desenvolvimento do negócio e tornam a rotina mais prazerosa, o que influi diretamente na prosperidade da unidade.

Consigo sustentar o negócio?

Estudar o plano de negócios, solicitar planilhas financeiras e analisar a própria capacidade de investimento são fundamentais para que o negócio seja sustentável. É preciso estar ciente de que o seu potencial de capital de giro deve ser suficiente para dar conta das despesas no início da empresa.

Posso confiar na marca?

Procure por franqueados já em atuação, evitando marcas que ainda não tenham um modelo de negócios testado. Pesquise sobre a reputação da marca e sobre o que os clientes falam dela – redes sociais e sites de avaliação de serviços são um ótimo caminho. Isso ajuda a criar confiança na franquia em que pensa em investir, pois o cotidiano de um franqueado – principalmente no início do negócio – depende de um suporte de qualidade por parte da franqueadora. Este apoio é determinante e irá ditar o seu futuro dentro dela.

 

COMPARTILHAR