Conheça as responsabilidades do franqueador e franqueado

0
11

Em um sistema de franchising, o franqueador é aquele que cede os direitos de uso de sua marca ao franqueado que, por sua vez, é o interessado em abrir um empreendimento próprio valendo-se de uma marca consolidada no mercado. É uma via de mão dupla: o primeiro quer propagar cada vez mais o seu nome – e receber royalties por isso. O segundo busca por um negócio maduro, com um modelo já formatado, testado e, portanto, mais seguro.

Essa relação comercial precisa estar em constante harmonia para que ambas as partes possam prosperar de acordo com expectativas e ambições de cada um. E, para isso acontecer, alguns processos e regras precisam ser cumpridos pelos dois lados.

Compromissos do franqueador

É de responsabilidade do franqueador estabelecer e criar o modelo de negócios que será vendido, bem como orientar o franqueado quanto à gestão adequada de sua marca enquanto existir vínculo contratual entre as partes. Além disso, cabe a ele definir procedimentos, regras, políticas e medidas de implantação, execução e administração do negócio.

O franqueador também é responsável por capacitar os franqueados através de manuais, materiais de apoio e programas de qualificação, fornecendo todo o suporte para que sua unidade prospere. Para garantir que a difusão da imagem da marca aconteça de maneira efetiva e sólida, o franqueador deve cuidar de fornecer treinamentos e todo o suporte necessário para guiar as boas práticas de suas franquias. Assim será possível consolidar a expansão da rede como um todo e oferecendo resultados positivos para ambos os lados.

Compromissos do franqueado

Em contrapartida, o franqueado deve levar a sério e seguir as cláusulas e exigências do contrato de franquia previamente definido. Cumprir as metas de vendas estipuladas, pagar as taxas devidas e adquirir produtos e serviços de fornecedores autorizados pelo franqueador são premissas básicas para uma boa relação com a empresa mãe. Também deve ter comprometimento com a gestão dos recursos da empresa, sejam eles físicos ou financeiros, além de fornecer relatórios periódicos sobre a operação.

O bom franqueado deve, ainda, cuidar com carinho de sua loja. Para isso precisa operar dentro da localidade estabelecida, formar uma equipe qualificada e devidamente treinada, cuidar da imagem da marca e implementar ações de marketing, com o intuito de divulgar seus serviços e produtos em sua área de atuação. Por fim, tem que supervisionar e cuidar do dia a dia de sua unidade e se comprometer a cumprir o sistema adotado pela rede, tal como foi acordado.

Bom relacionamento

Para que que a parceria entre franqueador e franqueado tenha sucesso é imprescindível um bom relacionamento entre as partes. Neste aspecto comunicação é a palavra-chave.  A relação se fortalece com os dois lados mantendo contatos frequentes e tendo atenção em relação às novidades do setor em que atuam. Acompanhar e adaptar-se às necessidades de mercado e evolução de recursos tecnológicos, com o objetivo de expandir e alavancar cada vez mais a marca, é, também, uma responsabilidade conjunta. Mantendo essas premissas como leis de boa convivência, franqueado e franqueador tem muito a ganhar em conjunto.

 

COMPARTILHAR